quarta-feira, 26 de abril de 2017

À vista de todos a diferença de tratamentos

Há uma clara diferença de tratamento entre determinados clubes quando se trata dos outros e quando se trata do Sporting.

Refiro-me, claro, ao SC Braga, que vai de Peseiro e de Jorge Simão contra toda a gente, apenas para chegar ao jogo contra o Sporting e mudar para o Abel.
Isto é tudo feito às claras!

quinta-feira, 20 de abril de 2017

O que fazem os tipos que trabalham na FPF?

Fala-se por todo o lado:
"queixas do clube X valem processo ao clube Y".
Foi o Slimani, foi o Samaris, foi o Jogo Duplo, foi o Farense, é o Samaris de novo, é o Gauld e o Geraldes...

Como se sabe, a normal reacção é dizer-se que os processos contra o clube do qual somos adeptos é "queixinhas" e "deviam meter-se nas vossas vidas", e que os processos que são levantados pelos nossos clubes contra os outros "têm que conhecer uma punição, caso contrário é uma vergonha", como aliás, é vergonhoso que demore tanto.

A questão que eu aqui coloco não tem a ver com isso.
A questão que coloco é...por que têm os clubes que queixar-se para haver processos?

Isto é, a federação ou a liga, ou lá qual é a entidade competente, presumivelmente terá tipos a trabalhar lá 8 horas por dia, e a receber ordenados, certo?
O que fazem eles? Não podem ser eles a ver os casos de todos os fins de semana e, sempre que haja uma agressão impune, instaurem 1 ou 2 jogos de castigo e está feito? Ou colocar num excel que jogadores estão inscritos, e actualizar as fichas de jogo todos os fins de semana?
Imagino que haja dezenas de milhares de pessoas dispostas a ter esse trabalho pelo ordenado mínimo.
Aliás, imagino até que seja possível treinar-se um chimpanzé para se fazer isso.

PS:
a título de curiosidade, visto que pouco se falou disto:
Nestas confusões do Geraldes e Gauld poderem ou não ser inscritos por outros clubes, houve também o caso Spalvis, que esteve para ir para o Belenenses.
O Belenenses teve o Rosell, o Domingos Duarte e o Palhinha. O Sporting resgatou o Palhinha em Janeiro. O Belenenses estaria interessado no empréstimo de Spalvis.
Só que a liga (ou a fpf, nunca sei qual) criou uma regra que diz que um clube só pode ter 3 jogadores emprestados. Só que os regulamentos não são claros se os 3 jogadores são ao longo de uma época (ou seja só se pode emprestar 3 jogadores por época) ou se são contado em simultâneo (ou seja, se só se pode ter 3 jogadores emprestados de cada vez).
Enviaram um esclarecimento à liga...e a liga respondeu que não sabia (isto não foi no dia de fecho do mercado).

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Futebol Português Vs Política

Estive a debruçar-me sobre os 2 temas mais importantes do dia - sendo eles o SLB ter dado 50 bilhetes ao gajo da APAF que nem sei quem é, e o castigo de 2 jogos de Brahimi.

Tenho para mim já há algum tempo, que o futebol, ou melhor, o mundo que existe à volta do futebol (adeptos, imprensa, comunicação, organizações, direcções, etc) é uma espécie de micro sociedade que serve de caricatura a toda a sociedade. Uma espécie de micro-cosmos onde se podem efectuar vários estudos sociológicos que dizem imenso sobre como a sociedade em geral funciona.

Foi a ter pensamentos destes que pensei numa coisa: é tudo muito bonito isto de fooball leaks e hackanços de emails que dão conta a escândalos que de pouco servirão se não para serem abafados pelos mesmos meios sociais que não os vão noticiar...mas não podemos pedir a essas pessoas para usarem os seus meios para interceptar emails de cargos políticos, banqueiros ou organizações poderosas?

E outra coisa.
Houve agora um castigo a posteriori ao Brahimi. No ano passado tinha havido um destes ao Slimani. Entretanto Safaram-se Samaris, Fejsa e mais uns quantos, e até à data Samaris parece voltar a escapar-se.
Isto, mais uma vez, me leva a comparar o futebol português com a política, visto que, ao que parece, tanto no mundo do futebol, como na política internacional está instaurado um clima de islamofobia.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Claques cantam músicas ofensivas aos rivais!!!

Agora a indignação é de claques cantarem cânticos ofensivos para clubes rivais.
Descobriu-se isso agora, aparentemente.

Por aí fora há imensos analistas a pronunciar-se sobre o assunto (para que ninguém se perca, mais uma vez lembro que o assunto em questão é "claques cantarem cânticos ofensivos para clubes rivais").
Pessoalmente esta é a parte que mais me irrita. É ver o desfile de dignidade de todos os comentadores, paineleiros e comentaristas. Já repararam, com certeza. Começa sempre com "isto aqui é um problema de todos os clubes", ou "isto ultrapassa qualquer clubismo!". Todos dizem que não interessa o clube, que é lamentável, e que nunca os iremos ver a defender tais infâmias. Todos defendem que isto das claques cantarem musiquinhas estúpidas a insultar os outros é um problema que abrange todos, que ultrapassa cores clubísticas e que é preciso resolver já.
Claro.
Porque são todos detentores do poder da dignidade imparcial.
Na verdade, isto é o equivalente a esconder uma bolota dentro de um prémio nobel da paz e atirá-lo para dentro duma pocilga.

No fim disto (que mais uma vez surge a abafar outros casos que tinham surgido recentemente) os comentadeiros vão esquecer todos isto, e vão voltar a fazer o que fazem diariamente: dizer que os outros clubes são uns mafiosos e que são eticamente reprováveis, dizer que os seus clubes ou agiram de boa fé, ou o que fizeram de mal, ou é perfeitamente justificável, ou não tão mau como os outros fazem, e, claro, dizer que todos os clubes são beneficiados pela arbitragem menos o nosso.

Pessoalmente, vou continuar a cantar cânticos a insultar os outros. Espero que os outros façam o mesmo para nós.
No fim, vou beber um copo com os outros, e deixo os comentadeiros a falar dos males do mundo.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

A cartilha do Correio da Manhã

Hoje o Correio da Manhã dá conta, na capa, de uma cartilha do Sporting.
Na hora que escrevo isto, não li a notícia, não vi ninguém comentar a notícia, não sei de absolutamente nada sobre o conteúdo disso exceptuando do título que colocaram na capa.

Fui verificar edições anteriores. Talvez algo me tenha escapado, mas não há menção alguma a qualquer cartilha encarnada.

Curioso.

Ou menos curioso, se nos lembrarmos que o Correio da Manhã noticiou na sua capa que o FCP oferecia robes personalizados aos árbitros, após nunca ter noticiado na capa que o Benfica oferecia jantares para 4 pessoas a cada um dos 4 árbitros.

Aliás, a notícia do dia no jornal desportivo do grupo Cofina no dia a seguir à revelação da cartilha foi: "Sporting e FC Porto Aliam-se Contra Benfica" a letras garrafais, fundamentando com as palavras de Coates e NES, respectivamente "queremos vencer o Boavista" e "Se ganharmos todos os jogos até ao fim, seremos campeões".

quarta-feira, 29 de março de 2017

É uma pena que Bruno de Carvalho apoie as tecnologias

Face ao que aconteceu no França x Espanha (ou em 100% dos casos em que se tenha experimentado as novas tecnologias), só posso concluir que é uma pena que Bruno de Carvalho tenha apoiado as novas tecnologias.
Se ao menos ele se tivesse insurgido contra elas, neste momento estaríamos milhas à frente dos holandeses ou do França x Espanha, neste âmbito (ou, pelo menos, estaríamos pressionadíssimos por todos os lados a instaurar tecnologias no futebol ASAP).

quinta-feira, 23 de março de 2017

Conquistar títulos com empates

Parece que ninguém realçou, mas nos jornais de dia 23 de Março temos o seguinte n'O Jogo:

Já no Record, e atenção, convém não esquecer que isto é retirado dos mesmos discursos/entrevistas da mesma gala:

OK, vou ser amigo da comunicação social e vou assumir que LFV promete o tetra e "muito mais" através de sucessivos empates.